Desabafo | Nem tudo é cor-de-rosa...

|
Também temos dias cinzentos, mas tentamos dar-lhes menos importância.


Quinta-feira foi, sem dúvida, o dia mais cinzento deste ano para nós. E começou logo pela manhã.
Quem segue o insta do blog e acompanha o meu dia a dia através do instastories já deve ter percebido do que estou a falar. Quem não acompanha ainda vai a tempo de me seguir (aqui) e só agora vou contar porque, sinceramente, foi uma coisa que me deixou muito frustrada e em baixo e, só agora estou "melhor" para falar no assunto.
Eis que, quinta-feira de manhã, sou acordada pela vizinha a chamar-nos pois tinham acabado de bater no nosso carro, que estava estacionado à porta de casa.
- "Bateram-lhe no carro, está todo partido!" - foram estas as palavras.
Naqueles segundos que demorei a vestir-me para sair pensei eu, no meu optimismo, que teria sido algum azelha a dar-lhe um beijinho a estacionar e que a vizinha estava a exagerar na parte do "está todo partido". Rapidamente percebi que eu é que estava enganada.
Bateram-me no carro, ou melhor, levaram-no de arrastão... Foi empurrado uns bons metros, subiu o passeio e só não entrou na garagem dos vizinhos porque não calhou. Tive que me conter, primeiro para não ser rude e dizer uns palavrões e depois para engolir as lágrimas que me apetecia soltar ao ver o meu popó naquele estado.
A frustração enorme que é, ter o nosso carro parado à porta de casa, bem estacionado, numa rua tranquila (recta e com boa visibilidade), onde não é suposto circular a mais de 50 km/h e acordar para o ver destruído por alguém que me parece ter sido... irresponsável.
O meu carro não é um modelo todo xpto, nem sequer é novo, pelo contrário. Mas é um carro muito bem estimadinho, que nunca me deu qualquer tipo de problemas. Passou com uma inspecção impecável e tem sido o meu fiel companheiro desde que tirei a carta. No sitio em que moramos, é extremamente importante ter carro próprio para ir para qualquer lado. Portanto foi como se me cortassem as minhas segundas pernas. Tivemos que desmarcar a esterilização da Oreo, porque não a podemos trazer do vet a pé. Estamos completamente lixados para fazer compras no supermercado (lá nos vai safar o continente online com algumas coisitas poucas, porque não dá para encomendar tudo) e, até ter (e se tiver) o carro arranjado, porque ainda não sabemos o resultado da peritagem, nem conseguimos sair aqui da terra. Porque transportes públicos aqui é mito.
Estou extremamente frustrada, irritada e profundamente triste com toda a situação. Porque sou uma condutora cuidadosa, porque sempre tive todos e mais alguns cuidados para nunca bater, porque nunca estaciono indevidamente. Porque sou responsável e ao mínimo sintoma que tenha que possa perturbar a minha condução, não conduzo. Quantas vezes fui visitar familiares só para um almoço e depois me deu o sono e em vez de conduzir e depois descansar em casa, dormi uma sesta em casa dos familiares e só depois segui caminho. Quantas vezes fui passar o dia com os meus avós e fiquei para o dia seguinte, porque estava demasiado "mole" para fazer uma condução atenta. Já fui levar a minha mãe ao médico e por estar com uma dor de cabeça horrível, enquanto ela estava à espera da consulta, fiquei a dormir no banco de trás a recuperar. Quando me magoei no pulso e braço, num acidente de trabalho, se quisesse, conseguia conduzir, mas não nas minhas totais capacidades e não com a destreza normal (porque doía a cada mudança a cada girar do volante), não conduzi. Não conduzi por um mês, e que falta me fez. Vezes sem fim... 
Porque quem conduz tem que ser responsável antes de se sentar em frente ao volante. As desculpas depois dos acidentes são apenas para os fazer sentir melhor. "Bebi só um bocadinho", "Foi uma quebra de tensão", "Estava com sono, mas não pensei que adormecesse...era já ali ao lado", "Está mal porque lhe faleceu pessoa "x"".... Isto não serve, não serve mesmo. Como disse no instagram, se sentem que de alguma forma a vossa condição física ou psicológica/emocional vos afecta a capacidade de condução, seja uma dor no dedo mindinho, seja porque estão numa fase má emocionalmente e só conseguem pensar nisso, então tenham a atitude responsável e não conduzam. Há uber, existem taxis, transportes publicos, peçam a um familiar... Ou fiquem em casa. Às vezes há dias em que o melhor mesmo é nem sair.
Acima de tudo sejam responsáveis, não só por vocês, mas por todos os outros, condutores, passageiros, peões, animais... Enfim, a estrada é de todos que nela circulam e apenas nós somos responsáveis pelas nossas irresponsabilidades e pelos danos que isso possa causar nas vidas de outras pessoas.
A pessoa que me bateu, destruiu o meu carro completamente. A pessoa que me bateu tem mais carros e um exercito de pessoas que vieram em seu "socorro" (não ficou com um arranhão). Eu só tinha o meu carro. Que estava bem estacionadinho à porta de casa onde, pensava eu, nada iria acontecer. E sorte a minha que nem o usava para trabalhar, que aí é que estava bem lixada. 
Só tinha o meu carro. 
Agora restam-me os bocados dos faróis, das chapas brancas e todos os estilhaços que dele ficaram ali, uns metros mais à frente de onde o estacionei no ultimo dia. Como que para me lembrar, todos os dias que ali passo, todos os dias que abro a janela, que o meu carro não está ali, para me lembrar o som do reboque a separar os estilhaços. Para me recordar na memória o estado em que ele ficou. É estupido, é só um carro, mas é o meu. Que me faz um jeitão. E eu que sou emocionalmente ligada a tudo o que gosto. O meu carro e conduzir são duas delas. Fico extremamente triste só de reviver na minha cabeça esta quinta-feira mais que cinzenta, negra.
Só tinha o meu carro.
Agora não tenho nenhum. 
Nem sei quando e se o volto a ter (tamanho o estrago). 

Uma parte do que sobrou do meu carro...

😢😢😢

5 comentários:

  1. Ola.
    Lamento muito. Vais ver que tudo se vai compor.
    Força!

    Beijokitaz

    ResponderEliminar
  2. Lamento essa situação, minha querida :/ força!

    ResponderEliminar
  3. Fogo, que mau! Lamento muito :(
    Beijinhos,
    BabyLú
    http://www.luciaffmoreira.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  4. As pessoas são parvas e sem noção, é pena.
    Mas vais ver que tudo se resolve, com calma.
    Coragem cara linda e cabeçinha levantada!

    Beijinhos,
    www.pirilamposemarte.com

    ResponderEliminar

A sua opinião é importante!
Deixe a sua opinião nos comentários :)

Google Analytics Alternative